Esse sempre foi meu pensamento quando vinha a ideia de ter um cão de estimação. Apesar de querer, eu tinha certeza que não precisava. Cão dá trabalho, cão é muito meloso, cão fica doente, cão suja a casa toda, cão rói os móveis, cão morre cedo… tantos motivos para dizer não. Mas nós dissemos sim.

Dizer sim ao nosso Batata foi também dizer sim a nosso lado mais nobre. O lado disciplinado, que cuida para que ele coma no horário, vá passear e se distrair, tome banho com regularidade…

O lado atencioso, de estar sempre atento com a saúde dele (como está o xixi, o cocô, comeu a ração toda?). Preocupações que se reverberam em outros aspectos de nossa vida e que nos fazem ser melhores…

O lado amoroso, é tanto amor recebido de maneira espontânea e gratuita que simplesmente torna-se impossível não retribuir tamanha afeição. O amor é tão grande que se expande a todos os outros cães, gatos… Não cabe dentro de nós.

Meu Batata,

Nunca mais tomei banho sozinho depois de você. Você fica sempre ao lado do box esperando que eu saia. Parar para assistir TV ou trabalhar no computador em casa é sinônimo de deixar meu pé virar travesseiro para sua cabeça. Acho injusto ter que levantar para beber água e ter que te acordar.

A alegria quando chegamos ou a tristeza quando partimos faz nossos corações se alegrarem ou sofrerem. Meu despertador agora é você, que me acorda no horário certo para que eu possa receber seu bom dia cheio de “lambeijos”.

Talvez você não entenda porque lhe fazemos tanto carinho e lhe damos tantos beijos, mas com certeza, apesar de estranhar, estamos certos que você adora.

E o custo disso tudo é somente estar disponível para jogar a bolinha dezenas de vezes para que você saia com a mesma alegria de sempre para pegá-la. Isso também nos ensina sobre o poder da renovação mesmo na rotina. Que bela lição, meu amiguinho!

Sei que alguns podem pensar: “é, mas cachorro não é filho”. Pode até não ser filho de sangue, mas é um ser que nos conectamos pela alma. Alguns psicólogos podem falar que é uma transferência. Mas de que valem tantas informações intelectuais se, ao final, o amor supera tudo?

Estou certo de que não é realmente um filho, mas percebo que não há na vida estágio melhor para saber cuidar de um filho do que cuidar de você, meu Batata. Agradeço-lhe por isso também. E tenho certeza de que nosso filho humano e você serão grandes amigos e parceiros.

Você mora em meu coração hoje e para toda minha vida.

E eu que achei que não precisava de você, hoje me pergunto: como um dia consegui viver sem você? Te amo!!

Como diz Tom Jobim: “Ao encontrar você eu conheci o que é felicidade, meu amor”

Gratidão por você existir em nossa vida!

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

Yang Mendes - Podcast © 2016