#9: Bosta em Lata

Bosta em Lata

Você compraria uma lata cheia de bosta? Pensando em você, provavelmente não, mas e se fosse para sua planta, teria melhor presente que esse?

Pois é, existe um produto chamado “Bosta em Lata”, um adubo orgânico com um nome tão polêmico e criativo que é impossível passar batido. Eles usam o humor tanto em seu nome como em seus vídeos, simples e criativos para alavancar suas vendas.

O humor é uma ferramenta poderosíssima na criação de vínculo entre as pessoas. Você já se tocou como é bom estar perto de uma pessoa que tem um bom humor? Às vezes até um sorriso sincero no aperto de mão pode fazer diferença.

Seja nas vendas ou em qualquer área da sua vida o humor pode ser um fator essencial para melhorar resultados. Você já pensou que é exatamente em momentos de crise que o humor se torna um grande diferencial? Quando se está tudo bem, qualquer um pode ser bem humorado, mas quando estamos em crise, somente as pessoas que possuem uma grande força interna é que podem ser bem humoradas.

Você já percebeu como até na música isso pode funcionar. Olha o exemplo de Mamonas Assassinas, banda que fez com que muitas pessoas se aproximassem do rock, gênero geralmente mais sério e fechado, através das letras e comportamento ultra-humorados. Que dizer então de Bezerra da Silva que levava o humor para suas letras de samba? Uma grande inovação para um gênero em que o romance e o protesto imperam como temática.

Você sabe qual a função dos palhaços nas cortes europeias? Os bobos da corte tinham a função de dizer o que ninguém tinha coragem de falar para o rei. Olha a extrema importância que o humor pode ter, revelar o nosso lado mais frágil. Costumo dizer que o palhaço é o oposto das pessoas comuns no que diz respeito aos defeitos. Todos nós geralmente escondemos os defeitos para que outras pessoas não os vejam. Se sou baixo ou alto demais, procuro disfarçar, gordo ou magro demais, procuro disfarçar, e assim sucessivamente. O que acontece com o palhaço é exatamente o oposto: ele quer expor suas fragilidades para que os outros possam rir.

A lição do palhaço para nós é muito relevante: saibamos lidar com nossas debilidades. Não somos perfeitos e saber lidar com as nossas imperfeições é um excelente modo de se desenvolver.

Recentemente o Programa do Porchat foi lançado na Rede Rercord e ele mesmo fez um vídeo no Porta dos Fundos dizendo que agora ninguém mais se lembraria dele, pois estava numa TV de pouca audiência. Ora, se ele mesmo ironiza sua situação, quem somos nós para fazê-lo Depois dessa crítica super bem-humorada e que mostra um desenvolvimento emocional grande da parte dele?

No treinamento que faço para palestrantes um dos ensinamentos diz respeito à auto-depreciação. Ou seja, fazer piada consigo mesmo. O poder de conexão que essa simples ação gera é de um valor impressionante. Pois mostra humildade e superioridade ao mesmo tempo. Humildade por reconhecer suas falhas e superioridade por fazê-las exatamente em público. Incontáveis vezes falei de minha magreza em aulas e palestras e isso me aproximou das pessoas.

Aprendi sobre o “Bosta em Lata” numa palestra promovida pelo Sebrae semana passada. O palestrante falava sobre a importância do humor para as empresas. Dois dias depois mudei a foto do perfil da minha Fanpage por uma caricatura minha. Alguns amigos falaram que estava feia, mas existe caricatura legal sem ser engraçada? Tem como ser engraçada sendo totalmente linda?

Mas não é sobre a caricatura que quero dizer, mas sobre a aplicação dos ensinamentos. O palestrante falou algo que achei relevante, refleti e agi de acordo com o aprendido imediatamente. Quantas vezes aprendemos algo interessante e não aplicamos? Como realmente podemos viver uma experiência de aprendizado somente no campo intelectual, sem a colocarmos em prática? Muito difícil. Eu já parei de ler livros simplesmente por passarem uma prática que ainda não tinha conseguido executar e só voltei depois de a executar. Esse é o preço do aprendizado, colocar em prática. Aprender e não aplicar é como não aprender.

Conhecimento é diferente de sabedoria por um simples ponto. Sabedoria é colocar em prática os conhecimentos. E eu não sei você, mas já estou cansado de saber o que tenho que fazer e não fazer. Afinal só temos essa vida ou, no melhor dos casos, não lembraremos dela numa próxima vida… e envelhecemos mais rápido do que gostaríamos. Então, vamor focar nessa mesmo, OK?

Lição 1: Coloque o humor na sua vida. A lição 2 é: Saber e não agir é o mesmo que não saber.

Por isso, reflita e, se achar que lhe cabe, aja logo. Como diria uma marca um pouco mais famosa do que Bosta em Lata, “Just do It” (“apenas faça” ou em bom baianês: “faz essa zorra logo, mermão”).

Ps. Informações sobre o Bosta em Lata

Ps. 2. Vídeo citado da Porta dos Fundos

Deixe uma resposta