Não faça como Steve Jobs

 

Muitas vezes tomamos pessoas como modelo e buscamos ser algo que nada tem a ver conosco.

Steve Jobs é um exemplo de genialidade, empreendedorismo e oratória. Podemos nos inspirar por seu empenho, foco e disciplina. Sua mente criativa nos estimula a sermos melhores… E só.

O que nem todos sabem é que Jobs foi um exemplo negativo em vários sentidos de sua vida.

Ele criou a Apple na garagem de sua casa com um sócio Steve Wozniak (Woz) e alguns amigos. Anos depois quando a empresa foi para a bolsa ele só reconheceu o esforço de Woz e acabou deixando os outros parceiros de empreitada sem um mínimo percentual da que hoje é segunda empresa mais valiosa do mundo. Inclusive um desses amigos, Daniel Kottke, tinha viajado com ele para a Índia e encarado diversas aventuras junto com Jobs. Ou seja, ele não era um bom amigo…

Jobs, quando soube da gravidez de sua namorada, a culpou por ela estar grávida e disse que ela estava a fazer isso para prejudica-lo, já que estava no início do desenvolvimento da Apple. Brigou na justiça para não reconhecer a filha Lisa e somente anos depois é que aceitou a paternidade. Em relação aos outros filhos, que teve no casamento, permitiu que fosse escrita uma biografia para, nas palavras dele, “que os meus filhos me conheçam”. Ou seja, ele não era um bom pai.

Muitas vezes ao lidar com funcionários os humilhava na frente de outros chamando de ignorantes e burros. Não respeitava o ritmo e a individualidade de cada um. Apesar de ser um líder inspirador pelas ideias e projetos realizados ele destruía o astral de sua equipe com seu temperamento instável e explosivo. Ou seja, ele não era um bom chefe.

Usou drogas, trapaceou concorrentes e parceiros, parava o carro em vaga de deficiente, era muito egocêntrico. Ou seja, Jobs não era um bom ser humano.

Reforço que nada disso tira a maestria e a genialidade desse grande homem que tivemos o privilégio de sermos contemporâneos, mas também saliento que você não precisa ser igual a ele.

No mundo temos sempre a história dos heróis e dos feitos. Mas para Aquiles ter sido herói em Tróia, quantos guerreiros morreram anônimos? Para Ulisses ter tido a ideia do Cavalo de Tróia quantos estavam entraram no cavalo e lutaram dentro das muralhas da cidade de Helena? Para Jesus ser conhecido até hoje, quantos repassaram suas histórias e feitos e guardaram sua memória?

Ou seja, são muito importantes os heróis, mas sem pessoas “comuns” eles não se destacariam tanto. Você não precisa ser o herói. E o que eu preciso ser, Yang? Você precisa ser o que o que tiver que ser. Parece meio complexa essa ideia, mas ela remete a algo essencial e que nós temos esquecido: nossa vocação.

O mundo precisa de Jobs, mas precisa também de bons pais, bons amigos, pessoas que respeitem as regras da sociedade, pessoas de bem e “comuns”.

Tenho um grande amigo que tinha o sonho de ser pai e ele hoje é pai e é um dos pais mais parceiros e presentes que conheço. Que bom que temos pais como ele, pois se todos pais fossem como Jobs, estaríamos com a sociedade em frangalhos.

Creio, sinceramente, e seguindo os grandes sábios que falaram sobre o assunto, que nós temos um porquê nessa vida, temos um propósito, temos uma contribuição e descobrir nossa vocação é essencial para que possamos viver plenamente aquilo que viemos viver. A forma mais equivocada de viver, é querer achar uma fórmula de vida já pronta, que venha dos outros, de fora de nós. Antes, te faço uma proposta: que tal procurar dentro de você o que você realmente é e desenvolver esse seu ser?

Ainda vale aquela velha pergunta: o que eu quero ser quando crescer? Se você já não a faz mais, não se iluda que é porque você já cresceu, pois pode ser exatamente o contrário. Sua alma pode ter estagnado por inanição (ter ficado sem alimento para ser o que deveria ser) e isso te deixou nanico. Por isso, como parou de crescer, parou de se questionar.

Se você está até aqui lendo essa mensagem, creio que você ainda tem algo que grita dentro de ti. E por isso, está na hora de se voltar à velha pergunta: o que eu vou ser quando crescer? A melhor resposta sempre será: seja o que você É. Mas você já sabe o que você É?

Ps.1 Sou um grande admirador de Jobs pelos pontos colocados no início do texto.

Ps.2 O título é baseado num livro que fala da oratória de Jobs, muito bom por sinal. Faça como Steve Jobs, de Carmine Gallo.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

Yang Mendes - Podcast © 2016