Rio 2016 e o princípio Kaizen

 

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes deu uma entrevista no Jornal Nacional fazendo o levantamento final dos Jogos Olímpicos no Rio. Depois de várias perguntas, foi perguntado qual a nota que ele dava ao evento e ele disse: nota 10. A apresentadora Renata, insistiu e falou “mesmo com tantos problemas que mostramos?” e ele ratificou com firmeza “nota 10”.

 

Ora, se com piscinas verdes, alojamento dos atletas entregues sem condições, filas enorme para as entradas no evento (nos primeiros dias), dificuldade de comprar comida (também nos primeiros dias), morte de um soldado da Força Nacional e poluição na Bahia da Guanabara foi nota 10, qual a nota que teríamos se tudo que citei não tivesse ocorrido? Não se pode dar uma nota de 100%  se o evento não foi 100%. É óbvio isso.

 

Claro que temos muito mais a comemorar do que a nos envergonhar. O evento superou quase todas as expectativas tanto de estrangeiros (que previam uma catástrofe), quanto de brasileiros (que, em sua maioria, não esperavam se orgulhar do evento).

 

Acredito que devemos nos orgulhar sim. Mas dizer que o evento foi perfeito é exigir pouco demais de nossa competência intelectual e analítica. Contudo, agora o excelente orador Eduardo Paes, assim como muitos outros políticos, já tem um adjetivo para mim ou para você que criticamos algo que os governos no Brasil fazem: “complexo de vira-lata”.

 

Assim, há aqueles que acreditam no Brasil e outros que simplesmente se acham inferiores por serem naturais de um país tropical,que talvez nem tenha sido abençoado por Deus. Mais uma divisão e dicotomia é instaurada com interesse em dificultar a análise e o livre pensar.

 

Voltando ao ponto, quero dizer da minha alegria em assistir os jogos do Rio e da satisfação em ver a peculiar destreza brasileira em resolver rapidamente os problemas. Talvez uma das melhores características de nossa nação, flexibilidade e agilidade (jogo de cintura e ginga). Isso, creio que nós temos de muito superior à maioria dos povos.

 

E outro aspecto que devemos levar em conta é a dificuldade em executar o planejamento ou de planejar com qualidade. Ou não vamos assumir que um simples check list feito por pessoas com uma instrução mínima evitaria o constrangimento em relação ao alojamento dos atletas?

 

E no quesito piscina verde… Será que não é claro que faltou planejamento para que ela já estivesse 100% pronta e somente sofresse uma manutenção básica nos últimos 3 meses?

 

Ou seja, não fomos nota 10, apesar de termos sido muito melhor do que a grande maioria esperava.

 

Esse texto visa criticar a declaração de Eduardo Paes e não o evento em si, o qual considero bastante exitoso, apesar de algumas falhas. A crítica que faço é à falta de visão de um importante conceito japonês: Kaizen.

 

Kaizen significa “melhoria contínua”, ser hoje melhor do que ontem e pior do que amanhã. Considero um dos conceitos mais importantes para empresas e pessoas. Primeiro porque tira a referência de outros e as coloca em nós mesmos, pois precisamos ser melhor do que nós fomos ontem. Isso é essencial, pois nos leva à única competitividade válida, que é a competição interna.

 

O segundo aspecto é o da evolução. Em qualquer campo da vida, quando paramos de avançar por achar que já chegamos, podemos correr um risco enorme de não cumprir com nossa necessária jornada.

Para continuar evoluindo precisamos reconhecer o que acertamos e o que erramos. Sem reconhecer erros, não evoluímos. Simples assim.

Portanto, é deveras importante que deixemos a vaidade de lado e nos analisemos com sinceridade.

Lembremos de Narciso, que por se achar perfeito morreu “afogado na própria imagem”.

E você, tem refletido rotineiramente sobre o que você está fazendo certo e o que você precisa melhorar em sua vida ou já atingiu a perfeição?

Caso já a tenha atingido, por favor esconda suas piscinas verdes e não nos deixem ver seus alojamentos. Afinal, não sendo assim, poderemos perceber sua cegueira ou profunda hipocrisia.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado. Required fields are marked *

1 comentário em “#7: Rio2016 e o princípio Kaizen

  1. Elsimar ago 23, 2016

    Ótimo texto e uma excelente interpretação e correlação com o princípio Kaizen! Gostei muito, parabéns!

Yang Mendes - Podcast © 2016